Diaconato: saiba mais sobre o primeiro grau da Ordem

por Marina Avelar, da PASCOM Guadalupe


A Arquidiocese de Belo Horizonte comemorou na última quinta-feira (11), 100 anos de fundação. Além das festividades, a data também é marcada pelo fato do diaconato permanente chegar à marca de cem ministros ordenados a serviço do povo de Deus. Em nossa comunidade, o paroquiano Paulo de Tarso foi ordenado pelo o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, um dos sete novos diáconos permanentes. A cerimônia aconteceu na Catedral Cristo Rei, a nova Catedral de Belo Horizonte, localizada no bairro Juliana, vetor norte da cidade.


Mas afinal você deseja saber o que é um diácono? E qual diferença entre um diácono transitório/temporário e um permanente? A PASCOM Guadalupe te explicar a seguir!


Diácono Paulo de Tarso e esposa, após ordenação diaconal na Catedral Cristo Rei | Foto: Pedro Corcini/PASCOM

1 - Você sabe o que é diaconato?

É muito comum você confundir um diácono com padre, a semelhança nos trajes religiosos é o que gera a dúvida. Em algumas ocasiões, ver uma pessoa casada com tal vestimenta assusta, não é mesmo?

A verdade é que o diácono tem funções de extrema importância na igreja. Bem como os padres e bispos, ele também recebe o sacramento da Ordem, que é dividido em até terceiro grau. O diaconato é o primeiro grau da Ordem e entre suas funções, a principal delas é “ajudar e servir” o povo de Deus, na obediência aos bispos e padres. Apesar da sua importância um diácono não pode celebrar missas, uma vez que ele não é um sacerdote ordenado, ou seja, não recebeu o segundo grau da ordem.


2 - Diácono temporários e Diácono permanente, qual a diferença?

Atualmente existem duas classes de diácono, os temporários e os permanentes. O primeiro é aquele que homens se preparam para receber o sacramento da Ordem o segundo grau e tornar-se padre, mas primeiro são ordenado diáconos.

Já os permanentes são homens casados há algum tempo, que não estão seguindo rumo ao sacerdócio. Os diáconos permanentes geralmente estudam teologia, filosofia, pastoral e outras coisas durante cerca de quatro anos. Além disso, os diáconos permanentes vivem a dupla sacramentalidade – Matrimônio e Ordem – e, ainda, exercem uma profissão civil, missão com muitas particularidades.


Os sete novos diáconos permanentes de BH, após ordenação diaconal | Foto: Gabriel Campos

3 - Qual é a missão de um diácono permanente?

O Diácono Permanente realiza sua vocação no âmbito familiar, profissional e eclesial. É um consagrado pelo sacramento da Ordem, mas, ao mesmo tempo, não pode perder de vista o seu laicato originário da graça batismal, e permanecer caminhando com o “Povo de Deus” necessitando sempre de uma conversão contínua. Eles são chamados a serem, em primeiro lugar, um bom esposo e pai; um bom trabalhador que cuida de suas tarefas profissionais com o intuito de construir um mundo melhor; um bom cristão que, ciente de sua missão batismal, abraça um projeto de vida de Deus Criador que quer dar a todos vida em abundância.


4 - Quem forma o corpo diaconal na Arquidiocese de BH?

A diaconia, primeiramente, se vive familiarmente, com a esposa e os filhos, nunca isoladamente. Compõem o corpo diaconal: diáconos, esposas, alunos da escola diaconal, vocacionados.


5 - Quantos diáconos permanentes têm em Belo Horizonte?

Pode parecer rimada a resposta, mas são 100 diáconos para um centenário! Com a a ordenação diaconal realizada na noite de ontem, a Arquidiocese recebeu mais sete novos diáconos. Até então, o número de homens, que fazem parte do diaconato permanente na capital mineira, era de 93.



65 visualizações
PORTAL DE NOTÍCIAS E EVANGELIZAÇÃO